Existe evidência de que o comportamento alimentar é um elemento crucial na causalidade da cárie dentária,especialmente em crianças com pouca idade.Portanto a cárie dentária é uma doença ,que acima de tudo,tem um único fator causal específico:açucares livres.Sem o açúcar,a cadeia de causalidade é quebrada,de modo que a doença não ocorre.Assim,é claro que os açucares iniciam o processo .É também reconhecido atualmente que as doenças orais compartilham riscos comportamentais comuns com outras doenças não transmissíveis,o alto consumo de açúcar é a principal causa de cárie dentária,mas também está relacionado com o sobrepeso,a obesidade e o diabetes tipo 2 em crianças e adultos.

Em relação ao uso de dentifrício o acompanhamento e as instruções no dentista são importantes,visto que o uso de dentifrícios sem flúor pode ocorrer desmineralização do esmalte com apenas três exposições diárias ao açúcar .Por outro lado,quando a escovação dental diária é realizada regularmente com o uso de dentifrício fluoretado convencional(1000 a 1500 ppm de F),as desmineralizações em esmalte só são observadas com mais de seis exposições diárias ao açúcar (sacarose).No entanto,as mudanças na estrutura e composição do biofilme dental podem  ser observadas a partir de quatro exposições diárias á sacarose(açúcar).Portanto,a redução máxima do consumo diário de sacarose torna-se imprescindível para a prevenção da cárie.Atualmente existe no mercado vários tipos de dentifrícios com concentrações diferentes de flúor, baixa concentração (500 ppm de flúor),sem flúor, concentração convencional (1000 a 1500 ppm de flúor),diante de elevada exposição a sacarose,, apenas o dentifrício de concentração convencional(1000 a 1500 ppm de flúor)possui efeito anticárie,dessa forma ele deve ser recomendado de maneira universal a partir da erupção do primeiro dente decíduo,n a quantidade e frequência  indicadas pelo dentista.